Como fazer a prevenção de riscos com benzeno no seu posto?

Publicado em:

Como-fazer-a- prevencao-de- riscos-com-benzeno-no-seu-posto

Um posto de combustíveis é um negócio que exige uma série de cuidados para manter a integridade física dos colaboradores e clientes. Tal cuidado não é à toa, afinal estamos falando de locais de compra e venda de produtos altamente inflamáveis. Vazamentos, incêndios e explosões são os eventos adversos mais lembrados. Mas você sabia que também pode haver sérios riscos com benzeno no seu posto?

O benzeno é uma substância química encontrada em processos naturais em que há queimadas, como em incêndios florestais e erupções vulcânicas. Na indústria, ele serve de base na produção de plásticos, borracha e combustíveis, como gasolina e diesel. 

Além de ser altamente inflamável, o benzeno é extremamente tóxico. Sua fórmula incolor, com cheiro adocicado e de rápida evaporação esconde um grande perigo para a saúde humana.

Quando em contato com o organismo humano, a substância tem a capacidade de desencadear uma série de doenças, inclusive câncer. Por isso, o cuidado deve ser redobrado no manuseio desse combustível. Há uma série de riscos com o benzeno, no entanto há também muito a ser feito para evitar situações adversas. 

Quais os riscos com benzeno no seu posto?

A princípio, é importante saber que a gravidade dos efeitos do benzeno varia de acordo com o nível de exposição e com o metabolismo da pessoa. Ou seja, fatores como idade, sexo, variações genéticas, meio de exposição (inalação, contato com a pele ou ingestão) e dosagem interferem em como será a reação.

No entanto, independentemente desses fatores, o benzeno vai direto para a corrente sanguínea, onde é distribuído por todo o organismo, podendo ser estocado nos tecidos e em outros órgãos. Segundo o Ministério da Saúde, a maior parte dessa substância pode ser excretada pela urina em até 48h após o contato. O problema é que essa parte que fica alojada no organismo ainda assim traz problemas.

Em um posto de combustível, os frentistas são as pessoas mais expostas ao benzeno. Eles fazem parte de um grupo de profissionais que compõem essa cadeia de risco, que também envolve mecânicos, trabalhadores de siderúrgicas, indústrias petroquímicas e afins. O contato com o produto pode, a princípio, causar irritação nos olhos, no nariz, na pele ou na garganta. 

Com a exposição frequente, esses sintomas vão tornando-se mais fortes. A partir daí, surgem dores de cabeça, taquicardia, falta de ar, tontura e convulsões. Consequências mais sérias e com grande poder destrutivo também podem ocorrer, como anemias, hemorragias e até mesmo câncer.

O armazenamento do produto também significa um ponto de atenção. Em 2001, um posto de combustível de Brasília (DF) foi o responsável pelo vazamento de benzeno no solo do bairro onde estava instalado. Por conta disso, a população passou a consumir água contaminada retirada dos poços artesanais. Até as árvores próximas morreram por conta da contaminação.

Além do prejuízo ambiental ocasionado e na mancha na reputação das empresas, o posto e a distribuidora tiveram que pagar mais de R$ 300 mil de indenização às famílias atingidas.

5 cuidados para evitar a contaminação por benzeno no seu posto

No dia a dia, alguns cuidados podem ser tomados tanto de forma individual quanto coletiva para minimizar a exposição ao benzeno e evitar a contaminação por essa substância.

A seguir, apresentamos cinco dicas que são bastantes úteis na prevenção de riscos com benzeno no seu posto. 

Realize capacitações sobre os riscos com benzeno no seu posto

O remédio para qualquer mal é a informação. Portanto, um dos primeiros passos a dar para diminuir os riscos com benzeno no seu posto é a realização de treinamentos com seus funcionários.

Dessa forma, eles podem conhecer melhor o produto com o qual trabalham diariamente, os riscos e as ações que evitam problemas, além de outros conceitos ligados a monitoramento ambiental e intoxicação ocupacional.

É por meio desses treinamentos que se pode, por exemplo, reforçar que não se deve comercializar combustíveis em recipientes plásticos, algo infelizmente muito comum e de grande risco.

Forneça equipamentos de proteção individual (EPIs)

O uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) é obrigatório por lei desde 1977, e os equipamentos podem variar de acordo com a função exercida. Para postos de combustíveis, os equipamentos obrigatórios são diferentes para frentistas e para aqueles que lidam com a descarga e medição dos combustíveis.

Para os frentistas, é fundamental o uso de luvas e máscaras para evitar o contato com o líquido. Já para quem trabalha com a descarga e medição dos combustíveis, é obrigatório o uso de equipamento de proteção respiratória de face inteira, com filtro para vapores orgânicos e fator de proteção não inferior a 100.

Pensando de forma coletiva, o ideal é promover melhorias no seu posto para garantir a segurança de todos os colaboradores da pista. Uma dessas ações é a instalação de bicos automáticos nas bombas para evitar o contato direto com o líquido. São mudanças simples que têm alto impacto e transformam o ambiente de trabalho em um local mais seguro.

Conheça a legislação

Por ser um produto de alta toxicidade, desde os anos oitenta o Brasil constrói normas, leis, portarias que ajudam as atividades econômicas lidarem com o produto sem prejuízos para a saúde e o meio ambiente. 

A NR 20 é uma dessas normas. Criada pela Secretaria do Trabalho (antigo Ministério do Trabalho), ela regula as atividades com produtos inflamáveis e líquidos combustíveis. Seu objetivo é orientar empregadores e empregados da melhor forma para prevenir acidentes e garantir a integridade de todos no ambiente do posto.

No site do Ministério da Saúde, você pode conferir todos os documentos que foram elaborados ao longo dos anos para orientar os diversos setores econômicos a lidarem com esse produto, seja usando como matéria-prima, sendo comercializando produtos derivados. 

Sinalize bem os ambientes do posto

Todo cuidado se inicia com o alerta, por isso a sinalização é fator importante para combater os riscos com benzeno no seu posto. É, contudo, obrigatório manter visíveis as indicações de risco da substância, podendo ser na altura das bombas de abastecimento.

Por convenção, essas placas sinalizadoras devem ter dimensões de 20 cm x 14 cm e conter a seguinte frase: “A gasolina contém benzeno, substância cancerígena. Risco à saúde.”

Além disso, a área onde é realizada a coleta de amostras de combustíveis deve ser exclusiva, distante de onde são comercializados, e deve também ser bem sinalizada.  

Acompanhe a saúde de cada um

Para sofrer alguma consequência do contato com o benzeno, basta inalá-lo, que é uma ação involuntária do ser humano. Por isso, é importante acompanhar periodicamente a saúde das pessoas da sua empresa que têm contato constante com o produto.

Cabe ao empregador promover a realização de hemogramas completos, pelo menos uma vez por semestre. Com isso, é possível acompanhar a quantidade de plaquetas e hemácias em cada um dos seus colaboradores, assim como a presença de componentes estranhos no organismo. 

Caso algum funcionário receba resultados fora do padrão, ele deve procurar imediatamente ajuda médica. Já o gestor do posto precisa entender como esse contato foi feito e quais medidas devem ser tomadas para evitar que outras pessoas também se contaminem. 

Fazendo isso, você constrói um ambiente seguro e saudável não somente para seus colaboradores, como também para seus clientes. Dessa forma, garante ainda a saúde dessas pessoas e a sustentabilidade do seu negócio, afinal problemas oriundos de sinistros com benzeno podem trazer consequências graves para o posto.

Gostou desse texto? Aproveite e leia nosso próximo conteúdo sobre direitos de um frentista. Siga-nos também no Instagram, Facebook, Linkedin e Twitter e fique por dentro das últimas tendências sobre postos de combustíveis e lojas de conveniência. 

 

GOSTOU? Deixe seu e-mail e receba conteúdos como este!

O que achou? Deixe um comentário