Como o MVC ajuda a manter o seu posto em dia com a legislação ambiental?

Como o MVC ajuda a manter seu posto em dia com a legislação ambiental

Você já deve ter ouvido falar no Medidor Volumétrico de Combustível, ou MVC. Se não, é importante começar a olhar para o tema com mais atenção, pois esta solução apresenta um grande ganho para os postos de gasolina em diversos aspectos, entre eles manter seu posto em dia com a legislação ambiental.

Mais do que substituir as clássicas réguas que medem a quantidade de combustível estocada nos tanques do subsolo, ele traz mais precisão nas informações, facilidade de operação, conectividade entre redes e maior alinhamento às normas ambientais do seu estado. 

O MVC ainda pode ser integrado ao sistema de gestão da sua companhia, o ERP, (do inglês, Enterprise Resource Planning, o que garante na palma da sua mão ou na tela de um único computador, todas as informações necessárias para que você acompanhe mais de perto o seu posto e tome as melhores decisões para o negócio. Vamos conhecê-lo um pouco mais!

O que é e como funciona o MVC?

Quem é dono de posto já foi pego pela seguinte dúvida: “Por que o nível do tanque de estocagem de combustível do meu posto está baixo, se ele foi abastecido na semana passada?”. Se não houve um fluxo de venda considerável, a resposta seria: “Acho que vazou”. Puro achismo! Aliás, achismos já não fazem parte da rotina das empresas há muito tempo. Para esse caso, um Medidor Volumétrico de Combustível (MVC) ajudaria a obter a resposta com assertividade. 

O MVC é um equipamento que mede, em tempo real, a quantidade de combustível nos tanques de estocagem dos postos de gasolina, substituindo a clássica e defasada régua de medição. Isso garante total controle das entradas e saídas de combustível, portanto ajuda o dono do posto a sanar a dúvida citada no início deste texto.

A régua, parceira dos frentistas há tempos, foi substituída por uma série de sensores. Nesse complexo sistema de monitoramento, esses sensores integram sondas que ficam dentro e fora do tanque. A sonda interna é responsável por medir o volume do combustível e a temperatura; a externa, identifica os vazamentos tanto no tanque primário quanto no tanque secundário, que tem contato com o solo.

Essas informações são enviadas ao MVC, que gera relatórios e envia as informações diretamente para os servidores das agências de fiscalização do seu estado. Em resumo, praticidade, confiabilidade e segurança são os principais atributos que podem ser empregados ao MVC.

Os benefícios do MVC no seu posto

O uso do MVC se baseia em três pilares: otimização no armazenamento e repasse das informações fiscais, controle do volume dos tanques de estocagem e monitoramento de possíveis vazamentos. Isso quando falamos de maneira geral, no entanto, podemos olhar com mais acuracidade e identificar uma série de benefícios. Aqui listamos alguns deles: 

  • Identificação de avarias ou deformidades nos tanques de estocagem.
  • Criação de um banco de dados com as informações fiscais da operação.
  • Produção de relatórios on-line para resolução de problemas em menor tempo.
  • Acesso aos relatórios de monitoramento que deixam seu posto em dia com a legislação ambiental.
  • Facilidade de conexão por meio de interligação com redes de internet.
  • Criação de alertas em caso de eventos fora do normal, como vazamentos ou esvaziamento do tanque.
  • Gestão apurada do estoque, permitindo a antecipação de demandas e evitando o desabastecimento.

Somando-se tudo isso, o MVC traz a você um elemento muito importante hoje em dia: vantagem competitiva. Uma vez que você terá acesso rápido e prático a uma série de informações, pode antever demandas, definir estratégias, elaborar planos de contingência, qualificar seus colaboradores, tudo com mais agilidade e qualidade. 

Leia também: Como medir automaticamente o estoque de combustível do seu posto? 

Como o MVC ajuda a manter o posto em dia com a legislação ambiental?

Atualmente, apenas os postos dos estados do Ceará e de Santa Catarina estão obrigados a instalarem o MVC. Mas os postos que estão nas demais unidades da federação não estão livres da obrigatoriedade do equipamento. Isso porque a Secretaria de Fazenda local pode determinar a instalação do MVC em postos que tenham realizado fraudes de sonegação fiscal, adulteração de combustível ou danos ambientais.

Mas você não precisa esperar a lei para usá-lo, já que ele atende a demandas tanto fiscais quanto ambientais. Fiscais, pois combate fraudes nas bombas, evita a sonegação de impostos e inibe a comercialização de produtos adulterados; ambientais, porque o MVC auxilia no controle dos danos ao solo e lençóis freáticos.

Esse ponto é extremamente importante, pois os tanques de estocagem de combustível dos postos, por ficarem no subsolo, oferecem grande risco ao meio ambiente. Em caso de vazamento, eles podem contaminar o solo, os lençóis freáticos e até o ar. Usando o MVC, como ele emite alertas quando há sinistros, você pode tomar decisões de forma mais rápida e assertiva para minimizar os danos causados. 

É necessário deixar seu posto em dia com a legislação ambiental para que ele possa operar. Para isso, é necessário emitir a Licença Ambiental de Operação (LAO), que autoriza o exercício desse tipo de atividade. Para obter a licença, o posto deve passar por uma avaliação dos equipamentos de controle e emissão de poluentes. Embasando este documento, está a resolução 273/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente, que, dentre os diversos tópicos, indica o uso de medidores como uma ação de prevenção e controle da poluição. 

Não cumprir essas determinações da lei traz sérios prejuízos à empresa, como, por exemplo, a interdição do estabelecimento ou multas que chegam ao valor de R$ 10 milhões.

Por que integrar o medidor a sistemas de gestão?

Está cada vez mais comum empresas usarem sistemas de gestão integrados, os famosos ERP’s, para integrar as atividades da empresa em um único ambiente e fornecer uma visão 360º do negócio ao gestor. 

Em um ERP, todas as peças que compõem uma empresa estão lá, e o MVC pode ser uma delas. Por quê? Em primeiro lugar, integrando o MVC ao ERP, as informações oferecidas estarão compiladas em um único ambiente. Em segundo, uma vez unificadas, o gestor pode cruzar as informações do MVC com a de outras áreas para analisar dados com mais completude. 

Além disso, a facilidade de acesso, em único lugar e a cliques e distância, permite ao gestor agilidade na tomada de decisões. 

Se você possui uma rede de postos, esse ganho é ainda maior, pois você pode realizar a gestão dos seus postos e o acompanhamento do MVC de cada um deles remotamente.

Outro benefício dessa integração é em relação ao Livro de Movimentação de Combustíveis (LMC). O LMC é o documento obrigatório pelo qual se comprova que o estabelecimento está de acordo com as regras de uso de combustíveis e coloca seu posto em dia com a legislação ambiental. Ou seja, se você não preencher o LMC diariamente ou fazer isso de maneira inadequada, pode ter problemas com os órgãos fiscalizadores.

Com um sistema ERP integrado ao MVC, esse livro pode ser gerado automaticamente, já que todas as informações administrativas do seu posto estarão interligadas por um mesmo sistema. Isso lhe poupa tempo e garante uma melhor assertividade na construção do LMC.

Com a solução Adaptive Petros, você pode integrar seu MVC com as informações gerenciais do seu posto. Entre em contato conosco e conheça a solução!

Gostou desse texto? Compartilhe com outras profissionais para ajudá-los! E siga-nos no Facebook, Instagram, Linkedin, Twitter ou Youtube para mais conteúdos como esse!

 

 

GOSTOU? Deixe seu e-mail e receba conteúdos como este!

O que achou? Deixe um comentário