fbpx

Microgerenciamento: o que é e quais os riscos para sua empresa

Microgerenciamento: o que é e quais os riscos para sua empresa

Microgerenciamento é um estilo de gestão em que o líder é centralizador. Ele controla todas as atividades dos seus subordinados de forma excessiva. Não dá espaço para o contraditório e impede a criatividade. São obcecados por detalhes, não conseguem delegar e muito menos confiar em sua equipe. Os chamados “microgerenciadores” também têm dificuldades em trabalhar com seus pares e causam grande insatisfação nos colaboradores comprometendo a produtividade. 

Ao longo do texto, vamos te mostrar quais são os riscos do microgerenciamento para o seu negócio. Acompanhe!

 

O que é microgerenciamento?

O microgerenciamento é a ação de controle às tarefas em seus mínimos detalhes, o que pode atrasar muitos projetos no ambiente de trabalho. 

Além disso, essa prática ignora as estratégias e políticas da empresa, pois as decisões ficam presas em questões de menor importância que poderiam ser resolvidas sem a interferência do gestor. 

 

Leia também: Gestão de crises: como sua empresa pode lidar com a quarentena?

 

Como se comportam os microgerenciadores?

Os microgerenciadores são incapazes de escutar a equipe, não gostam de receber feedback e se negam a fazer qualquer alteração sugerida por seus subordinados. Muitas vezes não têm empatia, são autoritários, não mudam seu posicionamento, não conseguem coordenar a equipe. Se apegam nos mínimos detalhes dificultando tarefas simples do dia a dia e prolongando um processo que seria de fácil solução. Eles dificultam o trabalho do cotidiano, o que custa dinheiro à empresa, visto que a produtividade diminui. 

Quando a empresa tolera o microgerenciador ela corre o risco de fracassar, pois além da baixa produtividade há grande rotatividade de colaboradores e fica impossível a retenção de talentos. 

O sistema de microgerente é paternalista e o profissional não consegue delegar, centralizando todas as tarefas em si. Como não há confiança no trabalho dos subordinados, o sistema de microgerenciamento acaba por gerar muitos conflitos por conta do monitoramento constante e a grande pressão exercida sobre a equipe. 

Por isso, as pessoas se sentem menosprezadas, sem opções para realizar as atividades e se tornam improdutivas, muitas vezes temendo o seu superior.

Os gerentes que escolhem essa forma de gestão o fazem por inabilidade de liderar pessoas e têm dificuldades em atingir as metas da empresa. 

Mesmo as corporações atuais que desaprovam essa prática de gestão acabam sendo negligentes com esse tipo de gerência e não tomam atitude para coibir essa conduta. 

 

20 atitudes de um microgerenciador

Algumas atitudes são comuns em todo microgerenciador e é fácil identificá-lo:

  1. Falta de confiança em si.
  2. Centralizador.
  3. Não permite conversas paralelas entre os colaboradores.
  4. Fiscaliza todas as tarefas.
  5. Todas as atividades precisam de autorização.
  6. Quer ser avisado de tudo, mesmo nos processos de rotina.
  7. Não aceita ideias de outras pessoas.
  8. Pede para ser copiado em todos os e-mails.
  9. Colaboradores não podem participar de outros projetos sem autorização.
  10. Não sabe delegar.
  11. Foca nos detalhes de forma compulsiva.
  12. Erros são considerados grandes problemas.
  13. Pede relatórios a todo momento.
  14. Julga o resultado da equipe como insatisfatório.
  15. Não confia nos subordinados.
  16. Quer que toda movimentação do funcionário seja comunicada, inclusive idas ao banheiro e horários para lanches e almoço.
  17. Pede para os colaboradores registrarem tudo e o tempo todo.
  18. Oferece recompensas para colegas monitorarem seus pares.
  19. Questiona em detalhes todo o trabalho produzido e não ajuda em soluções.
  20. Monitora cada movimento dos funcionários e usa as informações para fazer cobranças.

 

Consequências do microgerenciamento para as empresas:

  1. Ambiente estressante.
  2. Rotatividade na equipe.
  3. Funcionários desmotivados.
  4. Aumento de problemas de saúde na equipe.
  5. Equipe sem criatividade.
  6. Não permite que os funcionários sejam proativos.
  7. Desencoraja o pensamento crítico.
  8. Sabota o sucesso da empresa por falta de cooperação e confiança.
  9. Faz com que a inovação seja adiada.
  10. Causa deficiência na comunicação de toda a organização.

 

Como evitar o microgerenciamento na sua empresa?

Valorize a troca de opiniões

Crie um ambiente transparente onde todos podem opinar, mas deixe claro quem dá a palavra final. Recompense as boas ideias independentemente do cargo do colaborador. Assim, todos vão ser incentivados a contribuir com a empresa de forma positiva.

Incentive o trabalho em equipe

O líder precisa incentivar a equipe a vencer seus desafios diariamente, mas, para isso, cabe ao gestor dar todo o apoio e indicar o melhor caminho para se alcançar o sucesso.

Reconheça os avanços da equipe

Para que a equipe tenha o reconhecimento sobre suas conquistas é muito importante planejar feedbacks positivos com frequência. Aproveite esses momentos para reconhecer os talentos individuais, elogiando os pontos fortes e os avanços do trabalho realizado. 

Encoraje a criatividade e a inovação

Incentive o espírito empreendedor e premie soluções inovadores para os velhos problemas da empresa. Crie um clima propício para novas ideias, assim você vai fazer com que todos os colaboradores estejam envolvidos para o crescimento da corporação. 

Confie na sua equipe

Crie condições para que sua equipe tenha autonomia. Confiança e liberdade podem ser a chave do sucesso para um trabalho bem feito. Incentive seus colaboradores a serem proativos e avançarem em suas carreiras.

Treine sua equipe

Ensine técnicas de autogestão: como gerenciar o tempo, ter foco para atingir metas, melhorar a comunicação e desenvolver a capacidade de tomar decisões. Faça reuniões periódicas para monitorar as conquistas e ajudar a resolver problemas.

Desenvolva a cultura da confiança

Confie no trabalho da equipe, desenvolva a cultura de confiança, atue como um facilitador, ajude a responder perguntas e acompanhe o trabalho sem cobranças.

Adote ferramentas de otimização

Existem no mercado algumas ferramentas que auxiliam no gerenciamento da equipe. Elas ajudam a coordenar compromissos e a melhorar a organização do tempo. Com softwares é possível acompanhar o andamento do trabalho e definir metas. Procure dar feedbacks sobre o desempenho regularmente.

Capriche na boa comunicação

Como é a comunicação no trabalho? As equipes se conversam ou cada um faz a sua atividade e não há trocas de experiência?

Para melhorar a comunicação e o diálogo transparente e direto, é necessário ter canais de comunicação promovendo a troca de experiências entre os colaboradores.

 

Microgerenciamento: o que é e quais os riscos para sua empresa

 

Para que sua empresa consiga evitar a microgestão, é preciso estar atento às atitudes dos gestores, ter uma comunicação aberta e transparente, promover a autogestão, criar um clima participativo e que promova a criatividade. 

Identificar líderes autoritários é muito importante para ter sucesso na sua empresa. Portanto é papel da alta gestão estar alinhado às práticas modernas e desenvolver lideranças que possam ser inspiradoras para suas equipes e, assim, aumentar a rentabilidade da empresa. 

 

Procura mais dicas de gestão? Acompanhe a Razem no FacebookInstagramLinkedinTwitter ou Youtube, confira todos os nossos posts sobre o assunto e se mantenha atualizado!

Fique por dentro das últimas novidades sobre gestão empresarial! 

Assine a newsletter do blog Adaptive e receba conteúdos novos toda semana diretamente no seu e-mail!

Leia Também

Temos soluções para diferentes necessidades.

Saiba como tornar o seu negócio mais competitivo no mercado.

Muito Obrigado!

Muito Obrigado!