Como fazer a DRE e aumentar as chances de sucesso da sua empresa?

Publicado em:

Em  mercados extremamente competitivos como os de hoje em dia, ter saúde financeira, mais do que nunca, é o que importa. E essa saúde é monitorada a partir de diversos relatórios, como a DRE – Demonstração do Resultado do Exercício.

Ao lado de outros, como o fluxo de caixa e o Balanço Patrimonial, esse documento é responsável por balizar a análise dos resultados da empresa, apontando se o negócio está prosperando ou retraindo.

Ele serve para auxiliar na tomada de decisões estratégicas, portanto, você deve obrigatoriamente tê-lo como parte da sua rotina financeira. Logo, se você não sabe o que ele é e qual sua importância, continue lendo este post.

O que é uma DRE?

A DRE ou Demonstração do Resultado do Exercício é um documento contábil no qual constam os dados referentes aos resultados operacionais (lucros, sem juros e impostos) e não operacionais (receitas e despesas) da empresa. Em resumo, é um documento que fala para o mercado e o governo se a empresa lucrou ou teve prejuízo no ano.

Nele, devem constar as receitas e os rendimentos da empresa no período estipulado, como também os custos, despesas, perdas e encargos referentes às receitas e rendimentos. Tudo isso deve atender ao regime de competência, ou seja, ao exato período em que cada um dos itens citados anteriormente ocorreu. 

Sua publicação anual é obrigatória para todas as empresas vigentes, com exceção daquelas do regime de Micro Empreendedor Individual (MEI), conforme aponta a lei nº 11.638/07

Mesmo a lei federal exigindo publicação obrigatória apenas a cada doze meses, muitas companhias optam por desenvolver seu DRE de forma mensal, trimestral ou semestral, exclusivamente para fins administrativos. Ou seja, de tempos em tempos, os gestores utilizam o DRE para ter uma noção dos números financeiros da sua empresa e pautarem suas decisões de forma mais estratégica. 

 Por que fazer DRE é essencial para a boa performance da sua empresa?

Não existe gestão financeira sem DRE. Muitas empresas só o fazem por ser uma obrigação legal, mas não se atentam à sua importância.

Com esse documento, qualquer gestor financeiro consegue perceber gargalos que podem comprometer a sustentabilidade da empresa, como despesas fixas muito altas, lucros abaixo do esperado ou altos gastos desnecessários.

Além disso, ao fazer a DRE você pode atrair a atenção de investidores, novos sócios e até mesmo facilitar o caminho na solicitação de empréstimos bancários, afinal todos esses personagens entenderão se a empresa significa um bom negócio ou não.

Objetivos específicos da DRE

Esse documento é importante não somente pelo fato de demonstrar como anda a saúde financeira da sua empresa, mas também pelo que se pode tirar dessas informações.

Entre os objetivos específicos da DRE, podemos elencar:

  • Comparação de períodos:  com a DRE, os gestores podem comparar a elevação de lucro bruto e líquido, como também as despesas e impostos praticados em períodos diferentes. 
  • Panorama da geração de resultados: a DRE mostra os números referentes ao lucro da empresa; se eles estiverem bons, é sinal que a gestão financeira está funcionando e pode-se seguir no mesmo caminho para potencializar ainda mais os resultados. 
  • Cálculo do ponto de equilíbrio: o ponto de equilíbrio é o quanto uma empresa deve vender para cobrir todos os seus gastos. Como a DRE traz informações sobre despesas fixas e variáveis, faturamento e lucro, você consegue ter uma noção de quando e como será esse ponto.
  • Acompanhamento de indicadores: a DRE traz informações referentes a indicadores extremamente importantes para a gestão financeira do seu negócio, como lucratividade, margem de contribuição, retorno sobre ativos e retorno sobre patrimônio líquido.

Como montar uma boa Demonstração do Resultado do Exercício?

Uma DRE deve conter informações a respeito da receita bruta, com suas deduções, realizadas no período estipulado, e os impostos incidentes sobre as operações de venda.

A partir disso, é possível identificar o valor da receita líquida. Sobre este, subtrai-se os custos dos produtos e/ou serviços comercializados. Chega-se, portanto, ao resultado operacional bruto.

Desta variável, deduz-se as despesas do período e adiciona-se as receitas, chegando ao valor do resultado operacional líquido, desconsiderando os impostos. 

Após deduzir os impostos, chega-se ao resultado líquido, mas ainda sem considerar a participação nos lucros, que é calculada sobre o valor do resultado líquido subtraído do prejuízo acumulado. 

Para entender melhor como é feito esse cálculo, atente-se para esta sequência:

Receita bruta (faturamento do período) – deduções (impostos e descontos) = receita líquida.

Em seguida, deve-se fazer a seguinte operação:

Receita líquida – custo dos produtos/serviços vendidos (valores de matéria-prima, mão de obra, produção) = lucro bruto.

Na sequência,

Lucro bruto – despesas com vendas (comissões, campanhas de marketing, gastos com logísticas, compras etc.) – despesas administrativas (aluguéis, internet, impostos, pessoal etc.) – despesas financeiras (juros, descontos e custos bancários) = resultado operacional líquido.

A partir do resultado operacional líquido, subtrai-se as despesas extraoperacionais (receita com dividendos, juros sobre empréstimos e afins). Tem-se, portanto, o resultado antes do Imposto de Renda e Contribuição Social.

Deduzindo o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e o CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), chega-se ao resultado líquido, a linha de chegada da DRE.

É esse valor, uma grande análise dos ganhos e perdas da empresa, que indica se ela obteve lucro ou prejuízo no período analisado, portanto, se está prosperando ou entrando em retração.

DRE integrado a um software de gestão

Como você pode ter percebido, o DRE é uma peça fundamental na engrenagem da gestão financeira de qualquer empresa, e isso inclui os postos de combustíveis. Ela é composta por uma série de informações fiscais, financeiras e de vendas que devem estar a um passo dos gestores.

Essa praticidade só é possível caso a empresa utilize um software de gestão, afinal, em vez de planilhas, documentos e pastas soltas por gavetas e armários, todas as informações importantes para a empresa estarão em nuveme seguras.

Dessa forma, torna-se muito mais fácil compilar os dados necessários para a confecção do DRE. Por falar nisso, o Petros, solução Adaptive, facilita ainda mais a vida dos gestores na hora de montar o DRE.

No Petros, existe um relatório completo de DRE, com diversos dados. Esses indicadores são compilados em um único ambiente, criando uma visão ampla e segura da situação financeira da empresa e fornecendo as informações necessárias para a análise da DRE. 

Isso significa a gestão da sua empresa de forma segura e assertiva quando quiser, de forma segura e prática.

 

GOSTOU? Deixe seu e-mail e receba conteúdos como este!

O que achou? Deixe um comentário