Como tornar sua loja de conveniência lucrativa?

Publicado em:

Como tornar sua loja de conveniência mais lucrativa

O que você entende por loja de conveniência lucrativa? Aquela que vende tudo que vê pela frente ou aquela que foca na necessidade do seu público-alvo, tem total controle de suas entradas e saídas, é formada por um time engajado e acompanha os números do negócio de perto?

Se você opta pela primeira opção, reveja! Dizemos isso porque uma loja de conveniência lucrativa é aquela que não é apenas conveniente. Como assim? “Conveniência”, segundo o dicionário, significa “aquilo que pode saciar o gosto, o conforto ou o bem-estar de uma pessoa”. Portanto, para seu negócio ser lucrativo, ele precisa ir além de saciar a vontade instantânea do cliente, ele precisa ser destino. 

Fazer isso implica ser diferente, especial e saudável. Essas características, quando combinadas, imprimem para o cliente uma nova forma de relacionamento e, o mais importante, cumprem a missão de dar mais lucro.

E o que deve ser feito? Em primeiro lugar, é preciso olhar de novo para o quê e como você está oferecendo em sua loja; e segundo lugar, transformar os seus funcionários; e, por fim, olhar para seus números com mais zelo e acuracidade. Para você entender melhor, listamos aqui algumas ações que você pode realizar desde já para ter um novo negócio.

Compre bem em vez de comprar muito

Segundo dados do Anuário 2019 da Plural , os artigos de tabacaria correspondem a 40,3% do faturamento das lojas de conveniência, seguido de cervejas (21,1%) e bebidas não alcoólicas (17,8%). Este cenário desconsidera os estabelecimentos com food service, ou seja, venda de lanches e cafés.

A pesquisa indica ainda os seguintes números:

  • Bomboniere – 9,5%.
  • Snacks e biscoitos – 5,0%.
  • Sorvetes – 4,7%.
  • Bebidas destiladas – 1,6%.

Isso significa dizer que apenas uma categoria detém quase metade do lucro da loja no mês e quase 80% advém de três. Então, você ainda acha que ter lucratividade é comprar muito e vender de tudo? Não é mesmo.

Entenda a importância de ter um relatório mensal de vendas e estoque

Ter um controle de estoque eficaz em lojas de conveniência é possível se você construir relatórios mensais de vendas e de estoque. Por exemplo, se uma loja fatura R$ 90.000 e tem nível de estoque de 33% (R$ 30.000,00), é excelente. Se ficar na casa dos R$ 45.000 (50%), ainda é considerado um nível de estoque bom. No entanto, se tiver como estoque os mesmos R$ 90.000,00, é muito prejudicial para o negócio.

Então, o que significa comprar bem?

Comprar bem significa ter um nível de estoque que atenda a demanda do cliente, sem deixar faltar nem ter em excesso; ter atenção aos produtos mais vendidos por categoria e sempre acompanhar o desempenho dos produtos da curva ABC. Também é muito importante escolher bem os produtos que serão vendidos em sua loja.

Vale lembrar que a curva ABC é uma técnica utilizada para controlar e organizar o estoque de um negócio. Ela classifica todos os produtos que o compõem de acordo com o seu grau de importância, que pode variar com o seu preço de custo ou de venda. Nessa classificação, produtos do grupo A são aqueles que correspondem a 70% das vendas; produtos do grupo B correspondem a 20%; e do grupo C, 10%.

No nosso e-book “O segredo da Loja de Conveniência lucrativa”, você encontra algumas estratégias que podem ser aplicadas para melhor a qualidade de compra da sua loja. Acesse e confira!

O segredo da loja de conveniência lucrativa

Os produtos deve ser expostos do jeito certo

Nunca se esqueça: cliente nenhum quer comprar o último produto da prateleira. O cliente não vai pensar que o produto é bom demais e acabou logo, ele vai imaginar que a loja está descuidada ou que o produto está ali há tempo suficiente para perder a validade. Sem contar na sensação de desorganização que isso pode provocar.

Para deixar a sua loja bem organizada de modo que mostre ao cliente o que ele precise, facilite o seu acesso ao produto e ainda passe uma boa impressão, pode-se usar de uma série de estratégias e ferramentas. Confira algumas delas:

  • Planograma: desenho gráfico que orienta o posicionamento dos produtos nas gôndolas e similares para que se mantenham alinhados;
  • Conceito de verticalização: tática é utilizada no marketing de vendas para dar ao cliente uma sensação de que há mais mercadorias expostas;
  • Finger spaces: espaços na prateleira necessários para o cliente tirar a mercadoria do lugar sem passar aperto,
  • Linha do horizonte: os produtos são colocados no topo da gôndola em harmonia, sem buracos ou tamanhos destoantes uns dos outros. Vale lembrar que uma gôndola ideal deve ter altura de 1,20m e 1,50m.
  • Fronting e Facing: fronting significa trazer os produtos para frente da prateleira. Já o facing, deixá-los com os rótulos virados sempre para frente, para facilitar a sua identificação por parte do cliente. 

Loja de conveniência lucrativa não desconfia, confere

Quando estamos falando em conferir, estamos falando de fazer inventários. O inventário é um processo que permite à empresa lidar com a entrada e saída de produtos diariamente. Por meio dele, é possível identificar, classificar e contar todos os produtos do seu negócio, bem como do seu patrimônio. Ter na ponta do lápis essas informações significa, portanto, zelar pela saúde financeira da empresa. 

Ao conhecer a quantidade de itens armazenados em seu negócio, o gestor consegue tomar decisões mais assertivas, como fazer novos pedidos de compra, solicitar reposições, analisar desempenho dos produtos e até mesmo entender a usabilidade do seu espaço físico.

Um inventário pode acontecer da seguinte forma:

  • Diária: cigarros, salgados, cervejas e produtos de alto valor.
  • Semanal: produtos do grupo A da curva ABC.
  • Quinzenal: produtos do grupo B da curva ABC.
  • Mensal: todos os produtos para garantir uma coleta de informações mais assertiva de seu estoque.

Com a tecnologia aliada aos negócios, ficou muito mais fácil realizar inventários, principalmente os diários. Você pode utilizar equipamentos portáteis de coleta de dados ou aplicativos pagos ou gratuitos próprios para essa função. Nesses aplicativos, você consegue exportar um arquivo e ler as informações referentes aos produtos para montar seu inventário.

Dessa forma, inventários trazem como vantagens o não desperdício de produtos, a redução de custos e a diminuição de perdas.

E se você quiser saber o quanto o inventário pode indicar se sua empresa está tendo uma boa gestão ou não no controle do estoque, leia o e-book que desenvolvemos sobre o tema.

Uma equipe orientada a vendas é essencial

Todo comércio precisa vender para sobreviver, logo, todo funcionário precisa vender. Fica para trás quem só espera o cliente chegar para comprar. Portanto, para sair na frente, a peça-chave é estimular seu time a vender mais.

Para que sua loja tenha alta lucratividade, você pode e deve definir metas para o time e gerência. Essa estratégia, aliada à recompensa ao time pelas entregas, é a opção mais prática para fazer a loja vender mais. 

Quais metas podem ser aplicadas para a equipe:

  • Combos.
  • Promoções de balcão.
  • Produtos de food service.
  • Café expresso.

E para a gerência:

  • Faturamento.
  • Margem da loja.
  • Ticket médio.
  • Inventário de produtos.

Não se deve esquecer que as metas são importantes, mas o bom atendimento ao cliente deve estar caminhando lado a lado ao atingimento de metas. Cumprimentar, acompanhar, tirar dúvidas, entregar os cupons fiscais são atitudes básicas que geram outra impressão em questões de atendimento.

Seja amigo dos relatórios gerenciais

Os relatórios gerenciais são extremamente importantes para entender o comportamento financeiro de sua loja de conveniência, bem como a classificação dos seus produtos na curva ABC. 

Por meio deles, é possível analisar as saídas de produtos e definir estratégias de compras e vendas. Se, por exemplo, o gelo – um produto de baixo custo – é o mais vendido ao mês, ele não deve em hipótese alguma faltar no estoque e na geladeira.

Mas não somente lucratividades ou vendas precisam de relatórios gerenciais para se ter uma visão da saúde do negócio como um todo. Você pode gerar relatórios por emissão de cupons fiscais, categoria de produto, vendas por horário e outros tantos. Ser próximo das planilhas e do que elas oferecem é um excelente caminho para ter uma nova visão do seu negócio, e há uma série de soluções em tecnologia que podem ajudar você a construir uma gestão mais automatizada, segura e ágil.

No nosso e-book “O segredo da loja de conveniência lucrativa” tem esses e muitos outros tópicos que podem trazer a você uma luz sobre o que fazer para potencializar os números dos seu negócio. Quer saber quais são? Clique aqui e baixe agora gratuitamente!

GOSTOU? Deixe seu e-mail e receba conteúdos como este!

O que achou? Deixe um comentário

Saiba quais foram nossas medidas e ações para proteger e garantir o bem-estar de nossos colaboradores e parceiros durante a pandemia. Leia as atualizações mais recentes.